Nova estrutura turística em Fernando de Noronha

EcoNoronha administra a visitação e promove melhorias no Parque Nacional

Após uma gestão de sucesso no Parque Nacional do Iguaçu, a Cataratas do Iguaçu S/A leva o seu know-how para outro importante destino turístico brasileiro. A empresa venceu a concorrência pública para gerenciar a visitação no Parque Nacional Marinho Fernando de Noronha (PE). A administração do parque continua sob responsabilidade do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO).

O objetivo da EcoNoronha, como é chamada filial da empresa, é implantar e operar atrações que, somadas à riqueza natural do parque, venham a construir um complexo capaz de recuperar, melhorar e ampliar a atratividade turística, proporcionando uma visitação de maior qualidade.

A primeira fase das obras de melhorias já está quase concluída, com previsão de término no final de agosto. Entre as melhorias previstas para este período estão a construção dos Postos de Informação e Controle (PICs) do Golfinho Sancho, do Sueste, do Leão e a trilha do Golfinho, que é totalmente acessível e já está finalizada. Nos PICs o turista poderá usufruir de uma infraestrutura que conta com estacionamento, sanitários, duchas, guarda-volume, locação de bicicleta para passeio pelas trilhas, mapas, lanchonete e loja de lembranças.

Além disso, a EcoNoronha está realizando melhorias nas vias de acesso das trilhas aos mirantes com intervenções e construções de trilhas suspensas e decks em alguns pontos. Monitores foram contratados para auxiliar aos visitantes no percurso, bem como será implantada uma loja central junto ao Centro de Visitantes de Fernando de Noronha com Exposição Permanente, balcão de informações, lanchonete, venda de souvenires e de ingressos para o parque.

A previsão de investimentos para o biênio 2012-2013 é de R$10 milhões que estão sendo investidos nas áreas de concessão que compreendem o Mirante dos Golfinhos, as praias do Sancho, Sueste, Baia dos Porcos, Leão, Atalaia e Caieiras, bem como várias outras trilhas que levam a diversos pontos de visitação na área do Parque Nacional. Além disso, também será construído o Centro de Visitantes e a Sede Administrativa.

Preocupação com o meio ambiente

Além de melhorar a experiência do visitante, outra preocupação da EcoNoronha é com o impacto ambiental das construções. Por isso, ela foi buscar materiais ecologicamente sustentáveis para todas as obras que serão realizadas na ilha, tornando o PNMFN o primeiro parque nacional do Brasil a utilizar em sua totalidade esse tipo de material.

Em todas as obras, a EcoNoronha utilizará o sistema CES (Construção Energitérmica Sustentável), que é amplamente utilizado em vários países, como Estados Unidos e Canadá, onde mais de 90% das casas são construídas por esse sistema.

Todos os projetos atenderão às normas ambientais e utilizarão tecnologias sustentáveis para energia, tratamento de resíduos sólidos e líquidos, captação e utilização de água de chuva, conforto térmico e iluminação.

No Parque, já são utilizadas madeiras biossintéticas, que são feitas a partir de resíduos de materiais como garrafas pet e pneus usados. As madeiras biossintéticas reduzem muito o impacto ambiental e são extremamente resistentes. O uso de matérias ecológicos garantirá às novas edificações do PNMFN melhor eficiência energética e melhor desempenho térmico e acústico. Além disso, reduzirá o desperdício de materiais construtivos, reduzindo a geração de resíduos, o consumo de água e a emissão de CO2.

Obras

Após a entrega da primeira fase, em jan/13 iniciam as obras da 2ª fase, que compreende a construção da Sede Administrativa, o PIC da Atalaia e a revitalização do Centro de Visitantes, onde será montada a Exposição Ambiental, bem como a revitalização da praça central do ICMBio. Esta fase deve durar seis meses.

 Ingresso

Conforme a Portaria nº 135 de 30 de dezembro de 2010, do Ministério do Meio Ambiente e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), o turista pagará um ingresso único no valor de R$65,00 para brasileiros e R$130,00 para estrangeiros para um período de dez dias. Crianças abaixo de 11 anos e idosos acima de 60 anos, têm isenção, bem como os moradores da ilha. A cobrança tem previsão de início para o mês de setembro.

 

Centro de visitantesTransporte. Foto: Alysson Borges.Trilhas. Foto: Alysson Borgeslojas Foto: Alysson Borges.deck porto canoas. Foto: Alysson Borges.Restaurante porto canoas. Foto: Alysson Borges.